O filme “Asas” e uma reflexão sobre o retrocesso social do conservadorismo religioso.

 

wings

        O filme “Asas” de William Wellman foi o primeiro vencedor do oscar de melhor filme do ano em 1927, sendo também o único do período mudo. Ainda nao o vi, mas vi uma cena ha pouco no youtube que me chamou a atenção. Nessa cena, que pode ser vista acima, vê-se de uma forma rápida um casal de mulheres a acariciarem-se. Fiquei espantado por ver uma cena assim num filme daquela época. Depois, ao ler na internet, soube que este mesmo filme foi o primeiro filme “mainstream” a apresentar cenas de nudez e um beijo entre dois homens, se bem que nao fosse um beijo entre apaixonados mas sim um sinal de amizade entre dois soldados. Tudo isto, como ja disse, no primeiro vencedor do oscar de melhor filme do ano. No entanto se fiquei espantado à primeira, lembrei-me depois que nesta altura ainda nao tinha sido criado o código Hays. E ao ver esta cena e toda a censura que apareceu depois com este código pensei no papel constantemente retardatário proposto pelos conservadores, principalmente aqueles com fortes ligações à religião, quais arautos da moral e guias dos bons costumes.

       A que salientar que de facto o cinema norte-americano antes do código Hays estava impregnado de um forte liberalismo influenciado pela sociedade de Hollywood onde tudo ou quase tudo era permitido. Festas, orgias, álcool, droga, libertinagem, etc. Como os críticos desta “imoralidade” diziam na época, Hollywood tinha-se transformado numa espécie de Sodoma e Gomorra. Ora tudo isto reflectia-se no cinema da época o que nao agradava às instituições religiosas que viam nisso o pecado que era preciso banir. Ora vao ser precisamente essas instituições que vao ser responsáveis pelo código Hays que era um conjunto de regras que tinha como objectivo subordinar o teatro e o cinema a padrões determinados por essas mesmas instituições lideradas pelo advogado presbiteriano William H. Hays que era o presidente da Motion Picture Association of America (MPAA). Assim depois desse código nao poderiam ser mostradas cenas de uso de droga, adultério, suicídio, sexo, homossexualidade, etc, mas apenas modelos correctos para a vida de acordo com as leis de Deus,  da natureza e dos homens. Na verdade o que estas instituições pretendiam era impedir todo o cinema e teatro que fosse contra as suas próprias normas de vida que nada tinham a ver com tolerância, democracia, respeito e mesmo ética e moral mas sim com aquilo que consideravam correcto como por exemplo a recusa da homossexualidade que viam como uma ofensa a Deus. é verdade que houve historias em Hollywood que de facto davam uma ma imagem, das quais a mais famosa foi a de Fat Arbuckle, comediante consagrado que caiu em desgraça depois de acusado de violar e matar uma jovem pretendente a actriz depois de uma festa. A acusaçao provou-se ser falsa mas Fat nunca mais recuperou a sua carreira e este escândalo foi o grande impulsionador para o aparecimento do codigo Hays. Mas também é verdade que houve muito exagero nessa descrição libertina da comunidade hollywoodesca, descrição alimentada propositadamente pelos conservadores religiosos para chegarem aos seus objectivos. A censura chegou ao ridículo de por exemplo ser-se proibido mostrar um homem e uma mulher que interpretassem um casal, a dormir na mesma cama. Apesar dessas censuras, ao longo dos tempos vários foram os realizadores que de uma forma ou outra conseguiram enganar os censores até que com o evoluir das mentalidades o código deixou de fazer efeito e foi totalmente revogado em 1968. Por curiosidade, precisamente um ano depois ganhava o oscar de melhor filme do ano, o filme “O cowboy da meia-noite” que foi o unico filme classificado como XXX a ganhar tal prémio. Isto pelos padrões da época.

     O que seria do cinema em Hollywood se nao tivesse havido o codigo Hays? Seria mais libertino, teria entrado numa onda de pecado até à perdição final? Nada ha que demonstre isso mas por outro lado seria de certeza mais tolerante para com os LGBT e mais descomplexado em relação ao sexo, nao que fosse mais directo visualmente mas na forma de o abordar. Enfim, tudo comportamentos naturais que esse código queria proibir de acordo com as leis da natureza. Ja agora onde é que se pode ver esta hipocrisia hoje em dia, além das comunidades religiosas extremistas que continuam a existir nos EUA e nao so? Isso mesmo, nesses radicais islamistas, como o Daesh e outros grupos terroristas que tentam também impor códigos assassinos e perigosos que também tencionam conduzir as vidas das pessoas. O codigo Hays foi um exemplo de um retrocesso social que nunca deveria ter existido como alias é tudo aquilo que fazem os conservadores religiosos.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s