Cunhal/Soares – um debate para a Historia.

debate-soares-cunhal-novembro-1975

Com a morte de Mário Soares, a RTP internacional tem retransmitido programas onde ele participou, principalmente documentários e entrevistas. Mas no sábado à noite, o mesmo canal passou na integra o histórico debate entre Soares e Cunhal de novembro de 1975. Tal como muitos portugueses, eu também já tinha ouvido falar muito nesse debate mas nunca o tinha visto. Assim neste sábado passado aproveitei para finalmente ver esse famoso momento do principio da democracia portuguesa. Devo porém e ainda antes de dar a minha opinião, dizer que devido à hora tardia a que foi transmitido e também à sua longa duração, acabei por adormecer um pouco pelo meio, sendo que devo ter perdido uns 20 a 25 minutos. Mas foi um lapso que sendo importante nao foi demasiado grande para que nao pudesse ter uma ideia geral do debate.

Nao vou aqui falar das ideias e opiniões políticas defendidas pelos dois intervenientes pois nao é esse o meu objectivo mas dar um parecer sobre as características do debate desde os apresentadores até ao contexto. E vou começar precisamente por aqui.

O debate foi transmitido no dia 6 de novembro de 1975 na RTP 1, numa edição especial do programa “Responder ao país”. Estávamos no período de transição democrática entre a revolução dos cravos e a promulgação da Constituição da Republica de 1976. Era um período cheio de incertezas e onde a guerra civil teve varias vezes perto de acontecer. De um lado os moderados que defendiam uma democracia pluralista e dos quais Mário Soares era um dos mais exímios representantes, do outro os radicais de esquerda que pretendiam instaurar um regime comunista-estalinista e que tinham como mentor principal Álvaro Cunhal. Os dois tinham estado unidos no combate ao Estado Novo e por consequência assim tinham continuado logo após o 25 de abril, como alias é possível de se ver nos primeiros comícios da liberdade. Mas depressa perceberam que nao queriam seguir o mesmo caminho e este debate era o culminar dessa desavença.

O debate em si abriu com uma imagem curiosa e hoje impensável. Um dos jornalistas moderadores a fumar em directo no estúdio. Estes eram José Carlos Megre e Joaquim Letria. O estúdio em si era uma simples sala despida de quaisquer adereços decorativos e simplesmente com umas mesas na mais elementar rigidez formal. A musica de abertura era do estilo clássico e pomposo como que a anunciar algo de grande que ai viria. Infelizmente nao consegui encontrar nem o nome nem o autor do tema musical. Outra coisa completamente impossível hoje em dia foi a duração do programa. Umas impressionantes três horas e quarenta minutos. é preciso dizer que naquela altura nao havia muito por onde escolher visto que so havia dois canais e um deles, a RTP2 tinha uma emissão diária muito curta. Por isso ou se via o debate ou desligava-se a televisão. Mas naquele tempo onde a democracia e liberdade eram novidades, as pessoas seguiam apaixonadamente e com curiosidade tudo o que se passava ao nível da vida política.

E neste debate os intervenientes nao terão desiludido os espectadores. Pelo menos a mim nao me desiludiram. Obviamente sendo um debate do passado, vi-o simplesmente como uma curiosidade histórica. E a conclusão a que cheguei foi que pena hoje em dia nao haver debates assim. Mais uma vez repito que nao pretendo opinar sobre as ideias e opiniões explanadas nele mas devo dizer que isto sim era um verdadeiro debate. Durante mais de três horas Cunhal e Soares expuseram as suas convicções sobre a sorte da nação e sobre o caminho que ela devia seguir de uma forma apaixonada e tenaz. Cunhal, do qual ainda me lembro bem (morreu em 2005) parecia uma metralhadora a disparar palavras, a atacar e a contra-atacar; por outro lado Soares era mais pausado mas sem nunca se deixar comandar pelo seu adversário. Os dois debatiam de tal forma que as três horas passaram rápido. Os espectadores podiam nao concordar com o que eles diziam, como alias eu nao concordei em muita coisa, mas o interesse com que debatiam fazia com que fosse impossível nao acompanhar o programa até ao fim. E era verdadeiramente um debate de ideias, nada a ver com o palavreado barato que se vê hoje em dia. Eu gostei tanto que resolvi escrever um artigo sobre ele. Algumas semanas depois, as oposiçoes desde debate defrontar-se-iam na tentativa de golpe de Estado do 25 de Novembro feita pelos radicais de esquerda. A tentativa seria um fracasso e também o seria a tentativa de instaurar o comunismo em Portugal.

 

Para ver o debate clique aqui.

Para saber mais visite wikipedia.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s