Setentas anos duma ameaça contínua.

Algumas datas importantes podem parecer repetitivas, mesmo chatas na medida em que todos os anos se fala delas. Principalmente quando se chega a números redondos. Porquê continuar a falar de algo que já se passou ha muito tempo? Porque é preciso sempre lembrar o passado para nao o repetir. Principalmente quando o passado é terrivelmente trágico. Faz hoje 70 anos do lançamento da primeira bomba atómica em Hiroshima (3 dias depois outra seria lançada em Nagasaki) marcando o inicio de uma nova era. A partir dessa data o mundo vive na ameaça, no medo. Se bem que a guerra fria tenha acabado, o perigo continua sempre presente. Por exemplo a Russia tem 8000* ogivas nucleares e as condições de segurança nao sao as melhores devido à crise económica. A possibilidade de uma dessas ogivas ir parar a maos terroristas nao é de menosprezar. E nao so. No mundo existem 16000* ogivas nucleares. Muito, demasiado! Nao estamos livres de além da ameaça terrorista, termos a ameaça de um líder sem escrúpulos. Mas neste caso a hipótese é mais remota. Para as potências nucleares, o armamento atómico serve mais como meio de dissuasão do que um meio real de utilização. Neste aspecto e por mais contraditório que isso possa parecer, as bombas nucleares têm servido como meio de bloqueio duma guerra mundial. Nenhum país  com armamento nuclear toma a iniciativa de atacar outro porque sabe que pode receber o mesmo tipo de resposta. Seria no entanto ingénuo pensar que as bombas atómicas sao um meio para a paz e acreditar que nao ha possibilidade de serem usadas. Infelizmente a loucura é exclusiva do Homem.

Quanto ao que se passou em Hiroshima e Nagasaki, serve para sempre como exemplo do que nunca mais deve ser repetido, como uma visão apocalíptica que paira sobre as nossas cabeças, sobre as nossas memórias e por isso as vitimas dessas duas explosões (tanto no momento como nos dias seguintes) devem ser vistas como mártires que nunca devemos esquecer porque, sem o quererem, mostraram ao futuro os efeitos terríveis das explosões atómicas. Independentemente da necessidade ou nao do lançamento e da tragédia que representaram, provavelmente hoje haveria menos relutância em usar a bomba atómica, se nao tivesse havido esses dois primeiros exemplos que alarmaram o mundo. Por isso nunca mais estas datas devem ser esquecidas. Para que nunca mais se voltem a repetir.

*Fonte: AIEA, NTI, ISIS, SIPRI Yearbook, PRIS, Tepco Japan, EIU

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s