Nao precisamos de um novo 25 de abril para nada!

      Com a crise actual e a resposta do Governo a essa crise, tornou-se moda dizer que “é preciso um novo 25 de abril” para derrubar o poder acusado de estar ao serviço do capitalismo selvagem, dos mais ricos, das grandes multinacionais em vez de defender o povo. Dizem que era preciso uma nova revolução para acabar com os abusos, com a exploração, com o esquecimento, com a mentira, em suma com esse desprezo da classe política que so se lembra do povo em altura de eleições. E de facto, compreende-se tanta raiva, raiva acumulada ao longo dos anos,  num pais em liberdade que pensou que essa liberdade mais a democracia, eram factos adquiridos. E houve ai um erro. O de pensar que com o 25 de  abril tudo vinha por magia. A esperança de um novo tempo, o acreditar numa mudança eficaz fruto de transformação repentina foi o fio condutor desses tempos pós-revolução. Era lógico e aceitável acreditar que depois de tantos anos de ditadura, novos tempos viriam ai e a democracia seria a solução para todos os problemas. Mas foi um pouco acreditar na ingenuidade, tendo em conta que havia de certa forma um desconhecimento da democracia na maior parte da população. Esqueceram-se de que é preciso aprender a viver em democracia e que é uma aprendizagem que dura a vida toda. Esqueceram-se de que nao basta mudar de regime, se nao houver também uma mudança de mentalidade. Esqueceram-se de que é preciso estar sempre vigilante, atento à política e nao apenas ir votar de 4 em 4 anos. Esqueceram-se de que a liberdade significa responsabilidade e que é um erro enorme se desleixar da política. E assim pergunto, de que vale a pena uma nova revolução se o principal problema nao esta na simples mudança política mas na falta de uma mudança mais profunda que toca a todos e deveria ter sido feita ao longo dos anos? Basta ver agora o exemplo do concurso das facturas. O mal começa logo por ai. Foi preciso o governo começar a dar carros para as pessoas pedirem factura. O que devia ser inerente a um comportamento sensato e justo e por isso praticado de forma livre, foi trocado por um egoísmo que acaba por nao trazer nada de bom individualmente e prejudica a economia nacional. Mas agora com os carros, de repente toda a gente pede factura e daqui descobre-se outra coisa. De repente o numero de empresas aumentou bastante. Onde estavam elas até agora? Quanto dinheiro se perdeu em fuga aos impostos até agora? Dinheiro que bem falta faz ao país! Isto é apenas o exemplo de uma mentalidade que infelizmente existe ainda muito em Portugal e que impede um verdadeiro desenvolvimento. Mas essa mentalidade nao é so esse egoísmo inútil e por isso pode haver mudanças de regime e mudanças de governo, mas isso de nada valera, se as pessoas nao cumprirem os seus deveres, se se perderem continuamente em acusações, se se perderem em utopias que prometem muito mas que so cumprem se cada individuo nao se deixar enganar pelos autores dessas promessas, se se deixar de lado o constante pessimismo dos comerciantes, a conversa barata dos políticos, a preguiça corrupta da justiça, o exibicionismo endinheirado dos novos-ricos ou pior ainda, dos que nao sendo ricos, gostam de viver como se o fossem, a alienação futebolística e religiosa cada vez mais presente na comunicação social. E por isso, o 25 de abril a que me refiro no titulo é apenas o 25 de abril do golpe militar, pois que seria preciso uma nova revolução, e essa sim porventura mais importante, mas também muito mais demorada e difícil de fazer. Nao acredito que volte a haver uma ditadura em Portugal, mas muita gente sente-se descontente com a democracia e esse descontentamento é muito por culpa das pessoas que acharam o sistema político pós-25 de abril como um facto consumado.

Anúncios

3 thoughts on “Nao precisamos de um novo 25 de abril para nada!

  1. Bom domingo, Bruno!
    Que texto inteligente! Na verdade, você não fala apenas sobre Portugal. O Brasil e creio que inúmeros outros países se encaixam neste padrão doentio.
    A população sempre procurando soluções individuais para problemas coletivos; os políticos sempre com o mesmo perfil (pois são eles que se sujeitam à sujeira); a queda de braço entre empresas e governo; o emprego ou sua falta como instrumento de poder (por parte das empresas, do governo e dos indivíduos); a vida de aparências, sobretudo com a facilidade absurda de crédito; a população cada vez mais idosa e com políticas deficitárias no segmento; a terceirização de serviços públicos como forma de conseguir propinas em contratos faraônicos…
    Será que com o aumento da arrecadação em Portugal devido à maior exigência de notas fiscais haverá melhora nos benefícios ou aumento na roubalheira?

    Grata pela possibilidade de argumentação,
    até a próxima.

    Gostar

  2. Ola

    Antes de mais obrigado por ter gostado do texto. Quanto à sua pergunta, penso que so pode haver beneficios se houver um controlo apertado nos impostos. Infelizmente ainda ha muita fuga ao fisco. Mas por maior que seja a cobrança de impostos e por maior que seja o dinheiro para o Estado, isso nao vai valer de nada se esse dinheiro for mal distribuido e aproveitado. No fundo penso que nao vai mudar grande coisa na situaçao em Portugal. Nem vai haver tantos beneficios como é preciso nem tanta roubalheira como alguns dizem que ha.

    Peço desculpa por so responder agora. Um abraço.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s