Tuesday Cain e o seu poderoso cartaz!

      
    

Ontem à tarde descobri esta foto, na qual uma miúda de 14 anos segura um cartaz com uma mensagem bastante provocadora mas muito eficaz e certeira. Achei-a tao forte que resolvi partilhar aqui no meu blog. Traduzida, a mensagem diz: “Jesus nao é um pénis, portanto mantenham-no fora da minha vagina”. Num mundo ainda bastante conservador e agarrado à religião, para se escrever uma mensagem destas ou se é muito louco ou muito corajoso. Para mim esta miúda é uma pessoa cheia de coragem. Mas qual a historia por detrás deste cartaz? Tudo aconteceu nos EUA, onde na semana passada, no Estado do Texas foi aprovada no senado uma das mais restritivas leis anti-aborto do país (ver aqui: “Texas passes one of toughest anti-abortion laws in US.“). Ora logo a seguir e como seria de esperar houve protestos dos activistas pro-aborto. Entre eles, o desta rapariga chamada Tuesday Cain que teve a ideia de fazer este cartaz com o apoio dos pais. Ela foi entao a uma manifestação juntamente com o pai Billy Cain, levando esse tal cartaz. Tiraram algumas fotos e uma delas (a foto aqui publicada) tornou-se viral nas redes sociais. O problema é que as reacções nao se fizeram esperar e a jovem chegou a ser tratada de puta por radicais de seitas religiosas pro-aborto. O pai saiu entao em defesa dela dizendo que na família sempre se discutiu direitos humanos e assuntos de mulheres desde que as crianças pudessem entender o debate (ver aqui: “I’m proud of my daughter’s abortion bill placard, despite the backlash“). Mais tarde a própria jovem decidiu também escrever e admitir que foi ela a autora do cartaz e porquê o fez, visto que muita gente acreditou que ela tinha sido manipulada pelos pais (ver aqui:”I’m the 14-year-old who wrote the “Jesus isn’t a dick so keep him out of my vagina”“).
      Ora independentemente da discussão sobre o aborto, pois  nao é sobre isso que quero falar, decidi partilhar esta foto porque na sua mensagem ela contém um valor que eu sempre defendi e defendo: a separação total da religião e do Estado. Falando das três principais religiões monoteistas, existe uma quase obsessão de que as vidas das pessoas sejam controladas por uma interpretação literal dos livros sagrados e das leis neles contidas. Esta obsessão é principalmente alimentada por grupos fundamentalistas, radicais e ortodoxos que nao aceitam visões diferentes, das contidas nos textos sagrados. Sao grupos bastante fechados e severos com os adversários. Mas também sao hipócritas como neste caso. Como a própria Tuesday Cain diz e bem: “Nao me parece que chamar puta a uma miúda de 14 anos, seja muito cristão.” De facto, dizem defender os valores humanistas do cristianismo mas depois insultam uma rapariga que apenas usou do seu direito de se manifestar. Faz-me lembrar os fariseus que por fora mostravam serem muito zelosos a seguir a religião mas que na verdade eram pessoas cheias de mentira e falsidade.
       Os livros sagrados foram escritos noutros tempos, em épocas onde por exemplo nao se falava em direitos humanos ou em igualdade de géneros. Ora todos eles contém coisas importantes e valiosas mas também assuntos ultrapassados e que nao têm razão nenhuma de existir na actualidade. Ora nesta parte esta incluída muita legislação, neles patente. isto é, muitas das leis escritas nos livros sagrados têm um referencial próximo da lei de Talião do olho por olho e dente por dente e isso esta completamente fora da realidade, nos nossos tempos. Por isso é que nenhum Estado nem nenhuma sociedade pode ser controlada pela religião. E quanto mais cedo, as pessoas se aperceberem de que é um erro misturar religião e política, mais próximos estaremos do fim de muitos conflitos e violência no mundo.

Anúncios

5 thoughts on “Tuesday Cain e o seu poderoso cartaz!

  1. Salam

    certamente política e religião não podem coexistir, porque a mente do homem que almeja o poder deturpará seu Livro Sagrado ao seu belprazer.
    Isso, de fato, já acontece. Observe que não há nenhum Estado Islâmico (só existe no nome), porque o Alcorão não é seguido na sua real forma em nenhum lugar desse planeta. Somente o que vemos é a deturpação de uma religião que prega a paz e Direitos Humanos baseados no Bem Comum.
    Tenho receio de quem interpreta tudo ao pé da letra e faz atrocidades com pessoas que têm fé e somente querem viver em paz suas vidas.
    Ainda bem que as pessoas no Khaleej, Golfo Pérsico, nada têm contra a dança, pois até os homens dançam por lá. Já para um talibã, a dança é um pecado de morte. Triste isso, não? Enquanto isso, os Sufis giram no sentido anti-horário para reencontrar o sol…

    P.S: Coloquei fotos do relógio em Meca, do qual perguntaste.
    Tenha um dia de sol.

    Gostar

  2. Oi Bruno…
    Também detesto e discordo totalmente deste amálgama entre religião e Estado “laico”.
    Temos no Brasil, uma bancada religiosa (não somente evangélica) muito forte no Senado Federal.
    Por conta disto, há uma lei que inclui no currículo, aula semanal de religião. A família que não a aceita, deve buscar a criança mais cedo, ou ela fica pela escola, ociosa.
    Sou obrigada a lecionar “região”, todavia entro no campo da ética e da filosofia, levando meus alunos à autonomia de pensamento, pois os heterônomos são os mais vulneráveis ao fundamentalismo religioso.
    Sinto que as famílias de ateus são muito discriminadas em minha região. É um absurdo dizer-se agnóstico… algo subterrâneo! É como se alguém ateu estivesse propenso ao mau.

    Agora quero entrar no campo do aborto… A 28 anos, quando estive grávida, recebi o apoio da família, contudo me lembro o quanto fiquei vulnerável, incluindo o período em que o Cláudio era bebê.
    Fiquei quase quatro anos sem trabalhar fora, dependente do Esposo. Mas e se eu fosse solteira, sozinha, adolescente, e soubesse que não teria como me manter, e à criança?
    A maternidade, de maravilhosa, passaria a sinistra!
    Será que eu não sonharia com a possibilidade do direito de escolha sobre meu corpo?
    Haja visto que os métodos anticoncepcionais não são totalmente seguros…Tive uma conhecida que foi ao suicídio nesta circunstância.

    Até mais.

    Gostar

  3. Ola.

    Concordo com o seu comentario. Os talibans tal como todos os extremistas de qualquer religiao, fazem lembrar os tempos negros da inquisiçao que tanta morte causaram na Europa. Eu sou ateu e ainda sou mais quando vejo tantos crimes em nome das religioes.

    Gostar

  4. Ola.

    Quanto à religiao é de facto um absurdo esse lobby e intromissao da religiao na politica. Uma coisa que ja reparei e nao sei se concorda comigo é que o novo mundo é muito mais religioso do que o velho mundo (Europa). Basta ver o Brasil e os EUA.
    Quanto ao aborto, parece-me e peço por favor que me corrija se estiver enganado, mas parece-me a favor. Eu na minha opiniao penso que a mulher deve ter o direito a escolher e a sociedade devia era preocupar-se com outras coisas mais urgentes.

    Gostar

  5. Bruno, a religiosidade no Brasil é eclética: em minha região, o sincretismo é tanto que numa mesma semana, chega-se a frequentar o centro Kardecista, um templo evangélico e um católico.
    Muitos também são religiosos “quando o sapato aperta”, ou em eventos (casamentos, batismos). E há os fiéis clássicos também.

    Não sou contra o aborto, pois só a mulher que enfrenta a “barra” sozinha pode definir a dificuldade.
    Fui diretora de creche e presenciei diversos casos em que elas carregavam o ônus da maternidade, sem direito à vida própria (também o bônus, claro).
    E muitas mães, delegam às avós a tarefa que lhes foi imposta sem poder de escolha.
    Nossas índias brasileiras já abortavam: pulavam dos barrancos até sangrar, ou tomavam determinadas ervas.
    Na roça, o aborto também era comum entre mulheres caboclas, com uso de objetos pontiagudos, sem assepsia alguma.
    Nas entrelinhas da história, sempre se abortou… e afinal, não estamos em extinção, como muitos outros animais!

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s