Uma passagem pelo mundo árabe. (4a parte)

     No mesmo dia em que visitei Kairouan, fiz paragem noutra cidade conhecida pelo seu ex-libris. Um grandioso e bem conservado coliseu romano que domina a paisagem de El-Jem. Pelas fotos que tinha visto antes na internet, nao me parecia que fosse um muito grande monumento, apesar de saber que é o segundo maior do mundo a seguir ao coliseu de Roma, mas quando la cheguei, mudei logo de opinião porque de facto ele cerca-nos na sua forma oval que nos deleita o olhar e nos faz imaginar os tempos áureos do império romano. Ali, tentei imaginar o que se passava no dia a dia, naquele tempo. Os gladiadores a saudarem as bancadas cheias, o povo a incentivar ou mesmo a delirar com os espectáculos na arena, a vida por baixo desta com os protagonistas, homens e animais, a viverem as , possivelmente, ultimas horas, antes da entrada em cena. Imaginar o passado requer um grande exercício de realismo e por vezes é difícil pensar que aquele silêncio so interrompido pelos turistas, já foi invadido por uma corrente humana de sons que talvez so tenha comparação na actualidade com o mundo dos estádios de futebol.


   Tudo tem um fim e a viagem à Tunísia estava a viver os seus últimos momentos. Como disse na primeira parte desta passagem no mundo árabe, houve coisas que gostei e nao gostei. O que mais gostei, a beleza dos sítios turísticos por onde passei e da arte islâmica impregnada em belos edifícios e ainda a simpatia das gentes que na sua maioria trataram-me bem, excepto num caso. Além dos baixos preços claro! O que menos gostei? A infernal confusão nas ruas, principalmente por causa de um transito de loucos como nunca vi mesmo em grandes cidades como Paris ou Londres e a enorme magoa de nao ter visitado o deserto e outros sítios históricos como Cartago ou Dougga. No aeroporto de Tunes, matei as ultimas horas em território tunisino e depois voei de volta à França. Mas a viagem ainda nao acabou. 
Anúncios

2 thoughts on “Uma passagem pelo mundo árabe. (4a parte)

  1. Salam, Bruno!

    Li todos os outros textos sobre sua viagem. Espero, de coração, que você ainda esteja muito contente com tudo que vivenciou por lá, pois sei que era um sonho que se tornou realidade.
    Que bom, que gostaste do silêncio da Mesquita!
    Pena que você não foi ao deserto, mas um dia você retornará até lá.
    Viu muita moça vestindo o hijab? O que achou da vestimenta local?
    Ouviu o Muezin a chamar para a oração?
    Ótimo fim de semana.

    Gostar

  2. Ola.

    Sim vi muita moça vestindo o hijab e também a burka. Vi mesmo algumas completamente tapadas o que me causa sempre estranheza e reprovaçao. Quanto à vestimenta local deve estar a referir-se ao sefseri. Ja nao ha muitas mulheres que o usam e as que eu vi ja eram de idade avançada.Em termos estéticos nao é nada de especial mas acredito que deve ter uma funçao importante.E quanto ao Muezin, sim ouvi e mais do que uma vez. Alguns tinham uma boa voz mas outros nem por isso.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s