Pedro e Inês – O par de Portugal!

   Certas coisas ha que sao incompreensíveis. Por exemplo, nunca percebi porque é que a historia de Pedro e Inês nunca teve o mesmo sucesso no mundo que outras tais como Romeu e Julieta, Sansao e Dalila ou Tristao e Isolda. A minha hipótese mais plausível é que talvez se deva ao facto de ter ocorrido num pais que nunca soube divulgar bem o seu melhor e muito menos aproveita-lo. Claro que em Portugal, todos nos aprendemos na escola esta trágica historia de amor mas quantos la fora a conhecerão? Historia verdadeira, tem todos os ingredientes para apaixonar as pessoas e fosse ela norte-americana e já estava em Hollywood ou inglesa e já estava nos teatros londrinos, mas por aqui ficou-se por dois filmes (pelo menos é o que conheço) que nao sao grande coisa e umas peças de teatro de desigual qualidade. Pena porque este conto merecia muito mais. E como é que tudo começa?  

    Começa como quase sempre com uma troca de olhares. Inês, vinda de Castela como aia de D. Constança “enfeitiça” D. Pedro, filho do rei D. Afonso IV e herdeiro do trono. E quem era D. Constança? Era a mulher de D. Pedro e que também era de Castela. Os dois tinham se casado ha pouco tempo, mas de entre as criadas de D. Constança, D. Pedro tinha-se apaixonado por Inês. E os dois viviam um amor às escondidas que tanto vive nas historias de amor. Mas nestas também vive a frieza da vida contra as emoções do coração. E naqueles tempos nao era o amor que conduzia à união mas os interesses de Estado. E na opinião do pai de Pedro, os encontros do seu filho com a castelhana eram uma ameaça à integridade e independência nacional. Ainda por cima, Inês era de linhagem real, o que fazia aumentar ainda mais o risco. Depois de muito ponderar com a ajuda de conselheiros, decidiu-se pela eliminação física da castelhana Inês. Num dia em que Pedro estava ausente, alguns homens foram ter com ela e terminaram os seus dias, diante dos quatro filhos do casal. Uma mistura de raiva selvagem e tristeza mortal apoderou-se de Pedro quando soube o que se tinha passado. Recusando perdoar o seu pai, entrou em guerra contra ele, o que so viria a acabar com a intervenção de D. Beatriz, mulher de D. Afonso IV e mae de Pedro. Quando este subiu ao trono, conseguiu que dois dos assassinos da sua apaixonada fossem apanhados. A um mandou que lhe arrancassem  o coração pelo peito e ao outro, o mesmo, mas pelas costas. 
     Uma historia intemporal, belíssima e que nada deve a outras historias que por ai andam.
Pedro e Inês
Quinta das Lagrimas (Coimbra), onde ocorreram alguns dos encontros amorosos de Pedro e Inês.
Ines de Castro, pedindo para nao a matarem.
Os magníficos tumulos de Inês de Castro e D. Pedro no mosteiro de Alcobaça.
FIM

Para saber mais: Inês de Castro
Anúncios

2 thoughts on “Pedro e Inês – O par de Portugal!

  1. Oi Bruno!
    Por aqui é conhecida a história de Inês de Castro.
    Você me fez lembrar da que mais gosto – Sóror Mariana Alcoforado e seu amante francês.
    No Brasil, “Romeu e Julieta” são D. Pedro II e sua amante, a Marquesa de Santos.
    Tenha um ótimo S. Valentim, pois aqui não comemoramos nesta data.

    Gostar

  2. Ola.

    Você acredita que eu nunca li essa historia da Soror Mariana? Apesar de ja ouvir falar muitas vezes. E aqui na França é muito conhecida. Alias acho que o original é francês mas nao tenho a certeza. Ja essa historia do D. Pedro II nao a conhecia. E obrigado pelo S. Valentim mas eu também nao comemoro.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s