Considerações acerca de um estudo sobre felicidade.

Nem felizes, nem deprimidos: os portugueses “vão andando” – Sociedade – PUBLICO.PT

   Um dos objectivos do meu blog é lutar contra o pessimismo em Portugal. E deve ser das missões mais difíceis a que me propus. Esta noticia mostra bem porquê. O “vão andando” é uma forma comum de se dizer que esta tudo muito mal. Quantas vezes nao ouvimos esse “vai-se andando” tao enfadonho, tao aborrecido, como uma espécie de anestesia para a dor das dificuldades ou porque faz parte integrante do nosso vocabulário como se cada português fosse um boneco que dissesse essa frase? De facto deve ser das expressões mais usadas no nosso meio como se esse fado do pessimismo fosse parte integrante da nossa genética colectiva. Por isso é uma missão difícil, por isso esse tal de “vão andando” é na realidade idêntico a povo deprimido. Repare-se como o povo português passa a vida a queixar-se, a desgraçarem a vida, a dizerem que os negócios vão mal, etc, etc, etc. Chega a ser fastidioso e mortal este ambiente de auto-mutilação psicológica que vai empobrecendo a riqueza social de um povo e aumentando as dificuldades para um verdadeiro progresso. Certo é que as circunstâncias actuais nao permitem que o povo viva na alegria e na felicidade mas este pessimismo português parece-me que provêm mais de raízes históricas e quem sabe genéticas do que económicas e sociais. Desde as despedidas nos tempos dos descobrimentos até, por exemplo, as cerimonias em memória dos soldados mortos na guerra do ultramar, tudo tem ajudado a este continuo erguer de um muro de saudade, de tristeza e de fatalismo. Habitua-mo-nos a ver tudo com maus olhos. Olhos tristes e sem futuro. Quanto à parte genética, acho tao estranho esta atitude colectiva que por vezes pergunto-me se por detrás também nao haverá razoes cientificas. Em todo o caso e tendo em conta que o povo português é muito pessimista e sempre pouco feliz é de realçar o facto de ter existido por mais de 900 anos e continuar a existir. Por isso o meu objectivo pode ser difícil mas nao é impossível.

Anúncios

One thought on “Considerações acerca de um estudo sobre felicidade.

  1. Há um sambista carioca que diz “Deixa a vida me levar…” Não concordo com esssa ideia ao pé da letra, só concordo se for uma metáfora para nos descontraírmos um pouco perante tensões do quotidiano.
    Agora, cá entre nós, os brasileiros são demasiadamente “otimistas”; um equilíbrio seria bem melhor, não é mesmo!?

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s