Sai uma revolução!

Otelo admite novo golpe militar em Portugal – Política – PUBLICO.PT

Bem, parece que ultimamente a esquerda so vive para a esperança de uma revolução ou do pessimismo social. Ja ouvimos Mário Soares e Vasco Lourenço virem com alarmismos de convulsões sociais, revoltas na rua, enfim uma explosão de raiva e amargura juntas. O mesmo tipo de discurso tem sido mantido desde ha muito tempo pela esquerda e agora, a cereja em cima do bolo, Otelo Saraiva de Carvalho vem falar na possibilidade de um golpe militar em Portugal. Bom, o que têm em comum as declarações de Mário Soares, Vasco Lourenço e Otelo? Ambos sao um desejo reprimido numa analise dos factos. Trocando por miudos, os dois primeiros desejam mesmo uma convulsão social e Otelo esta mortinho por um golpe militar. Insistem tanto nas manifestações e no descontentamento que fazem das suas analises parciais uma rampa para que o povo saia à rua. Trata-se de propaganda escondida para aproveitamento do descontentamento das massas de forma a chegarem aos seus objectivos: o derrube do governo de direita. Dito isto, importa referir uma diferença importante entre os 2 primeiros e Otelo. O que Soares e Lourenço dizem nao é falso na medida em que de facto vivemos tempos difíceis duma enorme crise social baseada numa desigualdade cada vez maior, numa situação económica e financeira perto do desespero e num futuro que parece nao ser muito promissor para o desenvolvimento do pais. Portanto é justo quando dizem que Portugal pode ser palco de revoltas sociais, quanto a que isso se passe realmente, tenho as minhas duvidas. Falo aqui nao das manifestações e greves que têm acontecido mas de violência explosiva como aconteceu na Inglaterra ou na Grécia. Sinceramente nao estou a ver o povo português a entrar nesses extremos o que também nao quer dizer que nao aconteça. Mas falam tanto nisto que chamando a atenção para o perigo de uma explosão social desejam ao mesmo tempo que ela aconteça para que o pais acorde. Nao estou com isto a dizer que defendem a violência mas é sabido que as grandes mudanças nascem quase sempre através de revoluções violentas que transformam a sociedade de um pais. Isto, mesmo que seja uma revolução pacifica. Ja no caso de Otelo é um pouco diferente. Otelo, homem de extrema-esquerda e reaccionário insiste numa política militar como se tudo se resolvesse pela lei das armas. Ja tinha tentado no pós-25 Abril instaurar um regime comunista aliado da ex-URSS mas felizmente falhou. Agora tenta tirar partido da situação que o pais vive para inflamar as massas e principalmente o exército. Pena é que assim seja. Em primeiro lugar o exército numa democracia serve para defender e servir o povo e nao para fazer política aproveitando a sua fraqueza. Em segundo lugar este discurso provocador e incentivador da violência so serve os interesses do exército e nao dos cidadãos. Num pais onde as probabilidades de a democracia falhar sao maiores, o exército tem sempre apetência a ocupar o lugar que nao deve. Ja por isso é que ainda bem que pertencemos à NATO e à UE. No fundo o exército so acorda quando os seus interesses estao em perigo. Ja assim tinha sido em 1974. O serviço prestado pelo exército no derrube do fascismo foi algo que nunca devemos esquecer e um serviço inestimável à democracia portuguesa (mesmo que depois houvesse os tais desvios radicais de esquerda) mas alguém duvida que se nao fosse o descontentamento provocado pelo rumo da guerra colonial, a ditadura teria desaparecido mais tarde? A historia teria tomado o mesmo rumo mas de uma forma diferente. Assim o exército ajuda o povo quando as coisas correm mal à classe militar. Agora é certo que o povo esta descontente e tem razoes para estar e o exército esta a perder regalias mas importa referir que a situação política do pais nada tem a ver com a de antes do 25 de Abril. Dizer que agora nao ha democracia é quase insultar todos os que lutaram e se sacrificaram por ela durante os 48 anos da ditadura. Pode-se dizer que estamos numa situação negra ao nível económico e social mas dizer que nao ha democracia é um pouco fugir a uma analise séria da realidade actual. Por isso também quando Otelo diz que os militares têm o direito de sair à rua para derrubar o governo é uma provocação sem nexo e um incentivo à violência inaceitáveis num regime democrático. Aquilo que era aceitável em abril de 1974 nao tem agora nenhuma razão de ser e so prejudicaria o futuro do pais.
Anúncios

2 thoughts on “Sai uma revolução!

  1. Salam, Bruno!

    Nossa! Não imaginava que o pessimismo estava tão grande em Portugal. Concordo contigo que a democracia ainda não está em causa mesmo numa situação tão dramática.

    Sobre as lamas, não há no Brasil, só no zoo, rs. Mas acho esses bichinhos tão simpáticos. E sobretudo, o camelo.
    E sobre seu comentário em relação ao Sufismo, sim, você compreendeu-o perfeitamente.

    Uma maravilhosa semana para você!!!

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s