Uma ditadura com nuclear? Nao, obrigado!

Irão muito perto de conseguir fabricar bomba nuclear, diz AIEA – Mundo – PUBLICO.PT

Ha coisas que de tao evidentes, espantam pelas diferentes interpretações de que sao alvo. E nessas interpretações, aparecem muito em conta os diferentes pensamentos políticos de direita e de esquerda, o que neste caso é um erro crasso. Porque opinar sobre um assunto desta matéria, tendo em conta a própria opinião política é esquecer que o nuclear afecta a todos independentemente do quadrante a que pertence. E isto é um grave retrocesso em relação ao que se passou na II Guerra Mundial e o nazismo. Nesse período nao houve duvidas sobre quem eram os bons (os aliados) e os maus (os nazis). E por isso tudo se fez para que Hitler e seus seguidores nao obtivessem a bomba atómica. Mais tarde soube-se que afinal os nazis estavam longe de a conseguir mas isso nao impede o facto de que se a tivessem obtido, o risco para o mundo seria enorme. Os nazis como força totalitária e instigadora da guerra e do racismo, poderiam muito bem dar uso à bomba atómica, ainda para mais em situação de desespero como se encontravam quase no final da guerra. Mas o mais importante aqui é reafirmar a separação concreta e definitiva entre as democracias aliadas e o fascismo nazi. Pois hoje em dia as coisas parecem mais diluídas. Talvez seja o desconhecimento do passado histórico mas vivemos num mundo onde as fronteiras parecem nao estar bem definidas entre o bem visível e o mal perceptível. Escrevo assim porque de facto por vezes é difícil distinguir mas noutros casos, como o da noticia referida no link acima é tao fácil e tao notório que certas opiniões so podem ser mesmo uma total ignorância do que é o regime iraniano e do que nos pode ensinar a historia do passado. Antes de mais já referi isto e volto a referir e tornarei a fazê-lo quantas vezes for preciso: o nazismo e o radicalismo islâmico sao iguais no que respeita aos direitos humanos, à guerra e ao poder. Têm muita coisa em comum e isso é facilmente observável. Sao ditaduras que tal como todas as outras nao respeitam os mais elementares direitos das pessoas, fazem a pregação da violência como forma de atingirem os seus objectivos (se bem que transmitam um discurso de paz para o exterior) e usam um poder de ferro onde nada esta acima e todos devem estar dentro sob pena de ostracismo ou pior ainda. Por isso nao se percebe como alguns defendem que o Irao deve ter a bomba nuclear. A bomba atómica nem devia existir nas democracias quanto mais em ditaduras alimentadas por um fundamentalismo religioso. Alguém ja imaginou o que seria se por exemplo os talibans obtivessem uma bomba atómica? E nao me parece que estes e os dirigentes religiosos do Irao (que têm mais poder do que o presidente) estejam muito afastados na ideologia religioso-política. Depois ha a questão de Israel. Alguns dizem que se este Estado tem a bomba atómica o Irao também deve ter esse direito. Convém dizer que sou contra o armamento nuclear e espero que ele desapareça um dia mas importa referir aqui um factor importante: peguemos num mapa do Médio-Oriente. O que vemos la? Vários países árabes a cercarem um pequeno e quase invisível pais hebreu. Bom é certo que existem judeus em território árabe e árabes em território judeu mas a ameaça radical islâmica é tao grande e o cerco de alguns países tao ameaçador que nao se compreende como se pode comparar um pais de superfície insignificante e cercado de inimigos com um outro que é uma potência regional e tem uma influência enorme naquela zona do mundo. Nao se trata de defender Israel como tendo direito a fazer o que faz (as constantes agressões às resoluções da ONU sao imperdoáveis bem como a política de colonatos) mas trata-se apenas de bom senso. Um pais cercado de inimigos tem de arranjar formas de defesa que dissuadam os possíveis atacantes de arriscarem. Ora foi nesse sentido que obtiveram a bomba atómica porque sinceramente é altamente improvável que alguma vez façam uso do seu armamento nuclear. Alguns dizem que se Israel acabasse com o seu armamento nuclear o Irao nao teria desenvolvido o seu. Trata-se de uma ideia sem fundamento porque uma ditadura aproveita sempre a fraqueza do inimigo. O ideal seria que aquela parte do mundo esquecesse as rivalidades, a violência e obtivesse no perdão a força necessária para criarem uma paz ha tanto tempo esperada. Mas a cegueira religiosa de ambas as partes tem impedido uma maior aproximação entre povos com mais em comum do que eles próprios julgam.
Resta-nos esperar que o Irao apenas use o armamento nuclear como forma de dissuasão, o que parece o mais provável (afinal a Coreia do Norte também tem e nunca usou), isto se o obtiver mas pode-se acreditar num regime que vive de mentiras e hipocrisia?
Anúncios

One thought on “Uma ditadura com nuclear? Nao, obrigado!

  1. Salam, escriba!

    Texto escrito com bastante entusiasmo. Que seu entusiasmo seja também para a esperança e a paz.
    Insh´Allah!

    Sobre os fundamentalistas religiosos, também há os fundamentalistas políticos, que amam o PODER.
    E gostei de ter citado a palavra “cegueira”; com carinho, separei o seguinte para vc:

    “Não percorreram eles a Terra? Não possuem corações com os quais compreendem, e ouvidos com os quais ouvissem! Todavia, a cegueira não é a dos olhos, mas a dos corações que estão em seus peitos!”(Alcorão, Al Hajj, 46)

    Essa Surata do Alcorão expressa toda a experiência que tive. E da cegueira do coração, dessa cegueira tenho a certeza de que não pereceremos, não é mesmo!?!

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s